sábado, novembro 03, 2007

Marcha de Celorico


Marcha de Celorico de Basto


Ó Celorico!... Meu devir e meu direito,
Berço de sol a transbordar de pão e vinho.
Danças de roda ao corropio em cada peito,
Ou com saudade, ou com orgulho, ou com carinho.

O teu castelo, sobranceiro e aguerrido
Geme dolente nas ameias destroçadas,
Trovas antigas de um romance, entretecido
De homens valente e de mouras encantadas.

Celorico! Celorico!
Uma choupana e um solar.
Celorico! Celorico!
Tâmega, ao fundo, a soluçar.
Celorico! Celorico!
Gente cantando a trabalhar.
Celorico! Celorico!
Para partir... e regressar.

Brancas ermidas nos montes alcandoradas.
Lendas. Milagres. Um cenário multicor.
Verdes colinas e pinhais. Veigas douradas.
Por toda a parte um bom sorriso acolhedor.

Ó terra amiga, nobre, franca, hospitaleira;
Vila risonha deste Minho encantador;
Eu quero amar-te, amar-te, amar-te a vida inteira,
Depois morrer amortalhado nesse amor.

Celorico! Celorico!
Uma choupana e um solar.
Celorico! Celorico!
Tâmega ao fundo a soluçar.
Celorico! Celorico!
Gente cantando a trabalhar.
Celorico! Celorico!
Para partir e regressar.


Outra versão


Ó Celorico minha terra és por direito
Uma medalha, um filigrana, um coração
Que Portugal traz a bater dentro do peito
E nós amamos com amor e adoração

O teu castelo sobranceiro e sonhador
Armas valentes nas ameias destroçadas
Trovas antigas dum romance embalador
Homens valentes e de mouras encantadas

Refrão
Celorico, Celorico, uma choupana e um solar
Celorico, Celorico, Tâmega ao fundo a soluçar
Celorico, Celorico, gente cantando a trabalhar
Celorico, Celorico, terra linda de encantar

Brancas ermidas nos montes alpendoradas
Contos e fadas de um cenário multicor
Verdes colinas, pinheirais, veigas douradas
Em toda a parte um sorriso acolhedor

Ó terra amiga, nobre, franca, hospitaleira
Vila risonha deste Minho encantador
Eu quero amar-te, amar-te, amar-te a vida inteira
Por fim morrer amortalhado nesse amor

Refrão
Celorico, Celorico, uma choupana e um solar
Celorico, Celorico, Tâmega ao fundo a soluçar
Celorico, Celorico, gente cantando a trabalhar
Celorico, Celorico, terra linda de encantar

9 comentários:

mtmv disse...

Permita-me que lhe faça um reparo...esqueceu-se de informar os seus leitores da identidade do autor da Marcha. Se não sabe, posso informá-lo que são dois poemas da autoria de João Marinho de Lemos.
Continue com o bom trabalho!

Anónimo disse...

Hoje, dia 13/11/2007, faria a bonita idade de 90 anos, o autor da letra da marcha de Celorico - João Marinho Lemos.Obrigado por estes momentos.

costapereira disse...

Já deixei um comentário no post referente ao Senra surgiu publicado. Estou acompanhar e com muita admiração. Parabéns

Anónimo disse...

bem, eu sou de celorico tenho 20 anos e confesso que nunca ouvi o hino de celorico. gostaria de saber como poderei faze lo ou onde me dirigir.

já agora também nao sei de onde surgiu o nome "celorico de basto".

obrigada e parabens pelo blogg

Anónimo disse...

ola

gosto mt do blog

contudo gostava de saber lendas sobre a botica ( farmacia ) de arnoia
bgd

SerpaPinto disse...

Acho um tema interessante para ser abordado no blog.
É pena que a melhor construção da antiga sede do concelho esteja num tal estado de degradação.
Quem sabe poderá ser um estimulo e um ponte de partida para a sua eventual recuperação.

abraços

Sílvia disse...

Provavelmente ja nem utilizam este blog. Mas quero na mesma partilhar a seguinte mensagem "Dia 29 de março de 2010 será tocado pela Banda Filarmonica de Celorico de Basto o hino da nossa tão amada terra." Aos que puderem estar presentes que desfrutem.
Cumprimentos,
Sílvia

jose luis teixeira disse...

Pois tambem sou de Celorico, nasci na mais pequena freguesia do concelho (santa Tecla) e o hino já o conheco desde do meu tempo da primária, e de facto é muito giro, acho que os celoricences devem ter orgulho no Sr. João Lemos, o autor da letra

um abraço a todos os celoricences

José Luis Teixeira

Anónimo disse...

sou celoricence com muito orgulho e conheço o hino desde a primária gostava de o ter em cd para poder ouvir de vez em quando desde já m
uito obrigado.